gestor melhor

4 atitudes para ser um gestor melhor

Determinadas atitudes no dia a dia corporativo fazem a diferença no seu desenvolvimento como gestor. Aliás, é imprescindível incluir práticas comportamentais com o objetivo de aprimorar sua capacidade de liderança, o que vai muito além da gestão.

Gestores buscam atingir os objetivos da empresa no período definido no planejamento. Líderes, por sua vez, são um exemplo para os funcionários, influenciando, por meio de um bom relacionamento, toda a equipe que coordenam. Para estabelecer um nível equilibrado entre gestão e liderança, há um conjunto de ações que podem lhe ajudar a ser um gestor melhor. Confira!

Seja um exemplo de comprometimento

Busque ser um exemplo de comprometimento, mostrando aos demais como sua postura impacta os negócios positivamente. É importante que todos percebam que as mais simples atitudes, se trabalhadas com efetividade, fazem toda a diferença no processo de trabalho em cada área de atuação.

Proponha soluções e evite pré-julgamentos

É muito comum observar nos gestores um comportamento analítico com relação aos colaboradores que não demonstram o desempenho esperado. No entanto, um estudo da consultoria Zenger/Folkman mostra que 74% dos 3.875 entrevistados já estavam cientes da existência do problema e não ficaram surpresos com a crítica. Com isso, a sugestão é: falar com franqueza e propor possíveis soluções para otimizar a conduta do estagiário ou aprendiz que precise de ajuda.

Saiba ouvir e mostrar empatia

Oferecer feedback é uma ótima atitude. No entanto, há diversas formas de se fazer isso. É quase certo que você queria praticar a melhor delas, então lembre-se sempre de não controlar exclusivamente a conversa. Ou seja, crie a oportunidade de o outro também falar. Um bom líder é aquele que sabe ouvir cada integrante da equipe, buscando compreender um ponto de vista diferente do seu. Com isso, você demonstra interesse e conquista a confiança dos demais.

Promova conversas inteligentes

Promover conversas inteligentes é uma oportunidade para o surgimento de ideias. De acordo com a autora Judith Glaser, tais conversas atingem o nível de co-criação. Ou seja, você não julga a outra pessoa com que está conversando, busca ouvir seu ponto de vista, respeitá-lo e, juntos, chegarem a uma conclusão satisfatória para ambos. Vale dizer que essa atitude é espelhada do outro lado e, com isso, é algo positivo para estabelecer um bom relacionamento entre os integrantes da equipe, além de você desenvolver sua capacidade de liderança.

Interessado em buscar talentos para sua empresa? Essa atitude também é praticada por bons gestores. Entre em contato conosco. Podemos ajudá-lo!