O que sua empresa tem que saber antes de contratar um aprendiz

contratar um aprendiz

Você já deve conhecer a Lei de Aprendizagem, alternativa para que jovens possam entrar no mercado de trabalho de maneira segura, com garantias dos direitos estabelecidos por lei, como o acesso à educação. Porém, além dos jovens, as empresas também são beneficiadas com o pagamento de apenas 2% de FGTS, a dispensa do aviso prévio remunerado e da multa rescisória, aquelas que são registradas no SIMPLES não têm aumento na contribuição previdenciária, além de estar construindo um posicionamento socialmente responsável. Afinal de contas, ao contratar um jovem, a empresa garante ao aprendiz a oportunidade de aprender uma profissão e pô-la em prática. Mas antes de contratar um aprendiz, você deve ficar atento a alguns detalhes que costumamos passar para as empresas parceiras.

Quando uma empresa solicita a consultoria da nossa equipe do Programa Juventude Aprendiz para a seleção de jovens, costumamos sugerir que observem os seguintes aspectos na hora da escolha: o jovem cujo salário realmente vá contribuir para a renda familiar, a pessoa que mora mais próximo da empresa, aquela que tenha motivação para a vaga de aprendiz, e a postura desse candidato, ou seja, além de observar a apresentação pessoal, a empresa deve ficar atenta à maneira como ele se coloca na entrevista e a clareza nas respostas.

E para ajudar esses jovens a conseguirem uma vaga na empresa, é importante que a instituição parceira também oriente os jovens sobre a entrevista de seleção. Costumamos incentivar que o futuro aprendiz entre no site da corporação para pesquisar sobre os seus produtos, área de atuação, parcerias, valores e missão; que preste atenção na aparência, por exemplo, não ir para a entrevista de chinelo, bermuda, e com roupa decotada ou transparente; que cheguem com antecedência de 10 minutos; e que respondam as perguntas com tranquilidade e honestidade. É importante sempre lembra-los de que detalhes são decisivos no processo de seleção de um candidato.

Confira outras informações importantes antes de contratar um aprendiz

– Empresas de médio e grande porte devem assegurar a contratação de no mínimo 5% e no máximo 15% das vagas que exijam apenas formação profissional. Ao ser contratado, o aprendiz é preparado por meio de aulas teóricas e práticas concomitantemente às atividades desenvolvidas na empresa.

– O Contrato de Aprendizagem é especial, por um prazo de até dois anos, em que o empregador se compromete a assegurar ao maior de 14 anos e menor de 24 anos, inscrito em programa de aprendizagem, formação técnico-profissional, compatível com seu desenvolvimento físico, moral e psicológico.

– A jornada de trabalho, de acordo com o Cadastro Nacional de Aprendizagem, poderá ser de quatro ou seis horas diárias, computadas as horas destinadas às atividades teóricas e práticas descritas no contrato de aprendizagem.

– Sobre o salário, no Rio de Janeiro, é garantido ao aprendiz o salário mínimo hora regional. Porém, a empresa contratante pode oferecer remuneração superior por sua convenção ou acordo coletivo da categoria.

– As horas de capacitação teórica também integram a jornada de trabalho do aprendiz, podendo ser descontadas as faltas ou atrasos que não forem legalmente justificados ou autorizados pelo empregador.

– Com relação ao acompanhamento da empresa da frequência e desenvolvimento do jovem na aprendizagem, ela recebe mensalmente a frequência das três disciplinas de capacitação teórica, onde é incluída também a avaliação comportamental de cada jovem em sala de aula, e bimestralmente, é realizada a avaliação dos conteúdos apresentados no período. Além disso, por meio da frequência mensal a empresa deverá providenciar os referidos descontos por atraso ou falta.

Para saber mais sobre o Programa Juventude Aprendiz, entre em contato conosco aqui